Barrela | Foto: Cristina Jatobá
Barrela | Foto: Cristina Jatobá

Peça escrita em 1958 e censurada por 20 anos, Barrela, obra seminal do dramaturgo santista Plínio Marcos, voltou aos palcos neste ano de 2019 pelas mãos de Mário Bortolotto, numa montagem que relembra as duas décadas da morte do autor, e se tornou um dos espetáculos mais elogiados da atual temporada paulistana.

Em cartaz no Teatro Cemitério de Automóveis, na Consolação, zona central de São Paulo, o espetáculo prorrogará sua temporada ao longo do mês de novembro, saindo de cartaz apenas no dia 01 de dezembro, domingo.


Com sessões de sexta-feira a domingo, 21h (sextas e sábados) e às 20h (domingos), Barrela tem levado o público a lotar o teatro e formar filas intermináveis esperando pela chance de ocupar um dos 34 lugares do Cemitério de Automóveis, e conferir o elenco formado por Walter Figueiredo, Marcos Gomes, Nelson Peres, Paulo Jordão, André Ceccato, Daniel Sato e Alexandre Tigano.