Marília Pêra | Foto: Divulgação
Marília Pêra | Foto: Divulgação

Atriz, cantora, produtora, intérprete e diretora, Marília Pêra saiu de cena em dezembro de 2015, em decorrência de um câncer no pulmão. Antes de partir, contudo, a artista deixou registrado o início de um trabalho fonográfico que, quatro anos pós sua morte, verá a luz do dia.

Ainda sem data de lançamento nem título definidos, o projeto contará com seis canções interpretadas por Marília, que deixou seis faixas gravadas com vozes guia e que, por decisão de sua irmã, Sandra Pêra, serão reunidas no disco a ser lançado pela gravadora carioca Biscoito Fino. Entre as faixas estão Lua e Flor (canção de Oswaldo Montenegro composta para a peça Brincando em Cima Daquilo, sucesso teatral de Marília que ganhou um compacto para chamar de seu em 1984).

Outros temas são A Cara do Espelho (do espetáculo A Feiticeira, que também ganhou registro fonográfico, e previamente lançado como single), Duas Contas (do violonista Garoto) e Não me Deixes Mais (a versão em português assinada por Fausto Nilo para o clássico belga Ne me Quitte Pas, de Jacques Brel).

Outras seis faixas, sem a voz da interprete, também entrarão no disco na interpretação de amigos e colegas de Marília, entre elas está Chinelinho Chinfrim, letra assinada pela própria Marília com música de Guilherme Lamounier, compositor de hits como Enrosca, gravado pelo cantor Fábio Jr. e pela dupla Sandy & Júnior.

A canção entra no disco em gravação dividida por Marcos Caruso, Arlete Salles, Ney Latorraca, Sandra Pêra, Ricardo Graça Mello, Amora Pêra entre outros amigos e familiares de Marília, que encontraram na faixa uma forma de homenageá-la. A produção do disco é assinada também por Sandra Pêra, responsável por encabeçar o projeto.